Vídeo mostra sonda da NASA ‘encostando’ no Sol pela primeira vez na história

Vídeo mostra sonda da NASA ‘encostando’ no Sol pela primeira vez na história

31 de janeiro de 2022 1 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

No início de janeiro, a agência espacial estadunidense NASA publicou um vídeo registrado a realização de um feito histórico: pela primeira vez uma nave “encostou” no sol.

A conquista foi alcançada pela sonda Parker Solar, que voou por algumas horas pela camada atmosférica solar, conhecida como “corona”, e coletou uma série de informações inéditas sobre o astro-rei: segundo declarações de cientistas ligados à missão, a importância da viagem é comparável cientificamente à chegada da humanidade na lua.Representação artística da sonda se aproximando do Sol

Representação artística da sonda se aproximando do Sol

O início da viagem da Parker Solar se deu em 2018, com o propósito de observar detalhes inéditos sobre o sol – e chegar mais perto da estrela do que jamais outra nave ou qualquer outro objeto desenvolvido por seres humanos já chegou.

Apesar de ter durado poucas horas, o voo pode inaugurar uma nova era de estudos e de voos cada vez mais próximos e longos ao redor do astro – ou mesmo “tocando” em sua face. “A oportunidade para novas descobertas é ilimitada”, afirmou Nicola Fox, diretora da Divisão de Heliofísica da NASA.A Parker Solar tornou-se a primeira sonda a voar pela atmosfera solar

A Parker Solar tornou-se a primeira sonda a voar pela atmosfera solar

Publicidade

O voo que alcançou a coroa do sol ocorreu em abril de 2021, e mesmo nessa breve visita inaugural alguns importantes fenômenos já foram observados pela primeira vez, como a confirmação da origem dos ventos solares, fluxos de partículas capazes de viajar os mais de 147 milhões de quilômetros de distância do sol até a Terra, na superfície solar.

“Estou animada para ver o que a Parker encontrará conforme ela passar repetidamente pela corona nos próximos anos”, afirmou Fox.


O vídeo registra justamente os jatos solares estudados pela sonda, que provocam, quando chegam na Terra, fenômenos como a aurora boreal, bem como danos em satélites e outros equipamentos espaciais – de acordo com comunicado da NASA, passar pelos ventos solares foi como “voar por dentro do olho de um furacão”.
O voo que alcançou a coroa do sol ocorreu em abril de 2021, e foi o primeiro de muitos que completarão a missão por quatro anos – a ideia é aproximar a sonda a “somente” cerca de 6 milhões de quilômetros de distância. O próximo voo da sonda pela camada atmosférica do sol está previsto para o início de 2022.
A primeira viagem da sonda a "tocar" no Sol coletou informações inéditas sobre a estrelaA primeira viagem da sonda a “tocar” no Sol coletou informações inéditas sobre a estrela


© fotos: NASA/Reprodução