Vida em Encélado fica ainda mais promissora com nova descoberta

Vida em Encélado fica ainda mais promissora com nova descoberta

14 de agosto de 2022 0 Por ucrhyan
Compartilhar:

O oceano de Encélado tem a idade certa para sustentar vida

Poderia haver vida na lua de Saturno, Encélado? Apesar de pequena, Encélado tem um oceano global sob a crosta de gelo superficial, e cientistas de todo o mundo sugerem a possibilidade de que formas de vida poderiam existir lá embaixo, escondidas nesse mar gelado e escuro.

A sonda Cassini descobriu que o oceano de Encélado é salgado, assim como os oceanos da Terra; também contém moléculas orgânicas abundantes, além da atividade hidrotermal ser uma grande possibilidade nas regiões mais profundas.

Se juntarmos tudo isso, as chances de vida são enormes. Mas agora, os cientistas encontraram outro indício de habitabilidade: o oceano de Encélado parece ter a idade certa para ótimas condições de suporte à vida.

A grande descoberta foi anunciada por Marc Neveu, pesquisador do Centro de Voo Espacial Goddard, da NASA, durante uma palestra na Conferência de Ciência Astrobiológica. O estudo foi publicado na revista Nature Astronomy.

O oceano de Encélado foi estimado em 1 bilhão de anos – tempo ideal para que a vida comece a evoluir. Se fosse mais novo, não teria tempo suficiente para que os diferentes tipos de elementos se misturassem… e se fosse muito mais antigo, esses processos químicos poderiam ter cessado.

Neveu e sua equipe chegaram a essa conclusão usando dados da missão Cassini (finalizada em 2017). Eles criaram 50 simulações diferentes, incluindo detalhes da órbita das luas de Saturno, radioatividade, bem como a idade estimada de Encélado.

Dentre todas as simulações, a que melhor recriou as condições conhecidas do oceano de Encélado, foi a que ele teria 1 bilhão de anos.

De acordo com Neveu, a idade de 1 bilhão de anos é apenas uma estimativa, já que nem todas as condições de Encélado foram recriadas nessa simulação. Agora, os pesquisadores querem melhorar os modelos de simulação para que a idade do oceano seja estimada com maior precisão. Como disse Neveu, “queremos saber isso antes de voltarmos para procurar por vida”.

A sonda Cassini analisou a composição do vapor de água ejetado pelos geyseres do polo sul de Encélado. As plumas têm origem no oceano escondido abaixo da crosta de gelo, e Cassini detectou vapor de água, partículas de gelo, sais, metano e uma variedade de moléculas orgânicas complexas. Além disso, Cassini também encontrou evidências de atividade hidrotermal (fontes hidrotermais) no fundo do oceano – o mesmo que existe aqui na Terra.

Essas fontes hidrotermais seriam oásis de calor e energia para diversas formas de vida. Na Terra, esse tipo de fonte hidrotermal sustenta uma variedade de formas de vida. Será então que o mesmo está acontecendo em Encélado?

O Oceano de Encélado parece ser muito semelhante ao oceano de Europa, lua de Júpiter. A missão Europa Clipper, que está sendo projetada para ser lançada na década de 2020, irá estudar de perto Europa e seu oceano em busca de vida em suas águas escuras abaixo da crosta de gelo.