Veja o James Webb a 1 milhão de km em foto tirada pelo observatório Gaia

Veja o James Webb a 1 milhão de km em foto tirada pelo observatório Gaia

21 de março de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

O telescópio espacial James Webb foi fotografado pelo observatório Gaia, da Agência Espacial Europeia (ESA). O registro foi produzido em 18 de fevereiro, quando os dois telescópios estavam separados por uma distância aproximada de 1 milhão de quilômetros, mas só foi revelado agora. Como muito pouca luz solar foi refletida em direção ao Gaia, o Webb aparece como um pequeno pontinho brilhante e distante, sem detalhes visíveis.

Em janeiro, o telescópio James Webb chegou ao Ponto de Lagrange 2, a 1,5 milhão de quilômetros da Terra. Só que, algumas semanas antes disso, especialistas da missão Gaia perceberam que, durante as observações do observatório, o Webb entraria ocasionalmente no seu campo de visão. Assim, os cientistas da missão Gaia calcularam quando seria a primeira oportunidade tentar fotografar seu novo “vizinho”.

À esquerda, o detalhe da imagem do Webb em resolução completa. À direita, uma segunda foto, produzida cerca de 106,5 minutos após a primeira (Imagem: Reprodução/ESA/Gaia/DPAC)

Eles descobriram que a primeira chance de registrá-lo seria no dia 18 de fevereiro. Após os dois telescópios do Gaia escanearem a área do céu em que o Webb estaria visível, os dados foram enviados para a Terra. Já na manhã seguinte, Francois Mignard, membro da missão do telescópio europeu, enviou um e-mail para os envolvidos, cujo campo de assunto trazia uma ótima notícia: “JWST: conseguimos!!”.

Entretanto, eles ainda precisaram esperar mais alguns dias. É que faltava aguardar até que Juanma Martin-Fleitas, engenheiro de calibração do Gaia, conseguisse encontrar o Webb nas imagens, mas a espera valeu a pena.

“Identifiquei nosso alvo”, escreveu ele em uma mensagem, com imagens anexadas e pequenas marcações que indicavam os “candidatos” ao telescópio. Após analisar o material e encontrá-lo, Uli Bastian, outro membro da missão Gaia, respondeu, dizendo que “seus ‘candidatos’ podem ser renomeados como ‘Webb’ com segurança”.

Apesar de o observatório Gaia não ter sido projetado para produzir imagens reais de objetos, parte de seus instrumentos consegue fotografá-los. A cada seis horas, o instrumento de mapeamento do céu escaneia uma faixa de 360º na esfera celestial de modo que, a cada alguns meses, o Gaia registra o céu inteiro. Depois, essas faixas são usadas em previsões da posição de estrelas, e costumam ser apagadas rotineiramente.

Mesmo assim, quando é necessário, é possível enviar manualmente uma solicitação para o computador do observatório manter parte dos dados de imagens — como aconteceu desta vez, com o registro do novo telescópio. O Gaia também fica em uma órbita ao redor do Ponto de Lagrange 2 e, agora, o Webb se tornou seu mais novo “vizinho” por lá.

Fonte: ESA