Telescópio Hubble da NASA capta ‘imagem macabra’ no espaço

Telescópio Hubble da NASA capta ‘imagem macabra’ no espaço

4 de novembro de 2019 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

O Telescópio Hubble da Agência Espacial Americana (NASA) captou recentemente a imagem de um ‘rosto assustador’ no espaço. O arquivo foi compartilhado pela instituição no Twitter.

Com revelado, um misterioso par de olhos brilha ameaçadoramente em nossa direção. Os penetrantes “olhos” são a característica mais importante do que se assemelha ao rosto de uma criatura de outro mundo.

No entanto, mesmo com a forte semelhança, isso não é uma aparição fantasmagórica. O Hubble está olhando para uma colisão titânica frontal entre duas galáxias.

Cada “olho” é o núcleo brilhante de uma galáxia, uma das quais se chocou contra a outra. O contorno do rosto é um anel de jovens estrelas azuis. Outros aglomerados de novas estrelas formam um nariz e uma boca. Todo o sistema é catalogado como Arp-Madore 2026-424 (AM 2026-424).

Hubble

@NASAHubble

Hubble has unveiled a spooky new image staring out from the depths of the cosmos just in time for . The new image reveals the twin galaxies AM 2026-424 — a pair of interacting galaxies that may foreshadow our Milky Way’s own frightening fate: https://go.nasa.gov/2WjhKJs 

Vídeo incorporado

Embora colisões de galáxias sejam comuns – especialmente no universo jovem – a maioria delas não é um choque frontal, como a colisão que provavelmente criou esse sistema. O encontro violento dá ao sistema uma estrutura de “anel” de retenção por apenas um ‘curto período de tempo’, cerca de 100 milhões de anos (considerando o tempo espacial).

Galáxias em anel são raras, apenas algumas centenas deles residem em nossa grande vizinhança cósmica. As galáxias precisam colidir na orientação correta para criar o anel.

De acordo com a NASA, a justaposição lado a lado das duas protuberâncias centrais de estrelas de ambas galáxias também é incomum. É evidente que as duas galáxias de proporções quase iguais foram envolvidas no choque, em vez de colisões mais comuns em que pequenas galáxias são devoradas por seus vizinhos maiores.

O Hubble observou esse sistema único como parte de um programa de “instantâneos” que tira proveito de falhas ocasionais no cronograma de observação do telescópio para extrair imagens adicionais.

NASA

Os astrônomos planejam usar este inovador programa para examinar de perto muitas outras galáxias. O objetivo é compilar uma amostra robusta de galáxias que interagem nas proximidades, o que poderia oferecer uma visão de como as galáxias cresceram ao longo do tempo por meio de fusões.

Ao analisar essas observações detalhadas do Hubble, os astrônomos poderiam então escolher quais sistemas são os principais alvos de acompanhamento com o Telescópio Espacial James Webb da NASA, com lançamento previsto para 2021.

A imagem do Hubble de AM 2026-424 foi tirada em 19 de junho de 2019, em luz visível pela Advanced Camera for Surveys. O sistema reside a 704 milhões de anos-luz da Terra. Confira outros detalhes:

Fonte