Rover da NASA extrai com sucesso oxigênio em Marte

Rover da NASA extrai com sucesso oxigênio em Marte

7 de março de 2022 1 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Agora podemos produzir oxigênio em Marte!

O instrumento MOXIE, instalado no rover Perseverance, foi capaz de obter oxigênio da atmosfera de Marte pela primeira vez na história.

Produziu cerca de 5,4 gramas de oxigênio molecular em uma hora, o que é suficiente para fornecer oxigênio a uma pessoa por dez minutos.


O rover Perseverance da NASA alcançou outro sucesso histórico! Pela primeira vez em Marte, parte do ar de dióxido de carbono irrespirável foi convertido em oxigênio. Este é um passo sério para a exploração do planeta não apenas por meio de robôs, mas também por meio de expedições tripuladas!

O MOXIE  (Mars Oxygen In-situ Resource Utilization Experiment) é um instrumento experimental projetado para demonstrar na prática como o oxigênio é produzido a partir da atmosfera marciana para uso como combustível e para respiração, de modo que futuras missões marcianas tripuladas não dependam do fornecimento de oxigênio da Terra.

Apresentação do instrumento MOXIE capaz de produzir oxigênio em Marte. Crédito: NASA / JPL-Caltech

O peso total do dispositivo é de 17,1 kg e as dimensões são 23,9 × 23,9 × 30,9 centímetros. Dentro dele está instalado um compressor com filtro e aquecedores, que injeta ar no aparelho, além de uma  célula de  eletrólise  de óxido sólido , que recebe oxigênio molecular do CO. 2 . Os engenheiros estimam que o MOXIE é capaz de gerar até 10 gramas de O 2  por hora.

Lembro aos leitores que a atmosfera de Marte consiste em 96% de dióxido de carbono. Uma molécula de dióxido de carbono tem um átomo de carbono e dois átomos de oxigênio. Por eletrólise, o MOXIE separa os átomos de oxigênio das moléculas, liberando um subproduto de monóxido de carbono durante a reação. O processo requer uma alta temperatura de 800  o  C, razão pela qual o dispositivo é construído com materiais resistentes ao calor.

Em 20 de abril de 2021, o dispositivo completou com sucesso seu primeiro ciclo de produção de oxigênio em Marte. Inicialmente, o MOXIE aqueceu às temperaturas desejadas por duas horas, depois começou a gerar oxigênio a uma taxa de seis gramas por hora e, depois de um tempo, diminuiu o ritmo de trabalho para avaliar sua condição. Durante uma hora de operação, a quantidade total de oxigênio produzida foi de cerca de 5,4 gramas, o que é suficiente para fornecer oxigênio a uma pessoa por dez minutos.

Gráfico mostrando a produção de oxigênio a uma taxa de 6 gramas por hora.  Crédito: Observatório MIT Haystack
Gráfico mostrando a produção de oxigênio a uma taxa de 6 gramas por hora. Crédito: Observatório MIT Haystack

Espera-se que no futuro, o MOXIE realize várias outras sessões de seu trabalho, para que os cientistas possam avaliar o desempenho real do dispositivo em diferentes condições atmosféricas, por exemplo, em diferentes horas do dia ou em diferentes épocas do ano, bem como testar diferentes modos de operação do dispositivo.

Se tudo correr conforme o planejado, podemos falar sobre a possibilidade de criar uma grande instalação que, sendo equipada com uma pequena usina, seja capaz de produzir pelo menos dois quilos de oxigênio por hora para fornecer astronautas em Marte.

Esta é talvez a maior conquista até agora em direção ao objetivo de ver pessoas em Marte no futuro. Se os cientistas encontrarem uma maneira rápida de produzir oxigênio no Planeta Vermelho, talvez esse sonho se torne realidade muito mais cedo do que o esperado.