Raríssimo, filhote da única espécie de lêmure com olhos azuis nasce em zoológico da Flórida

Raríssimo, filhote da única espécie de lêmure com olhos azuis nasce em zoológico da Flórida

29 de outubro de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Madagascar, um país insular, situado perto da costa sudeste da África, é o único lugar do mundo onde os lêmures são encontrados na natureza. São mais de 100 espécies desses mamíferos, mas apenas uma delas possui olhos azuis: a Eulemur flavifrons. Entretanto, infelizmente, esses animais estão criticamente ameaçados de extinção. Estima-se que restem menos de 1 mil deles na vida selvagem. Por esta razão, toda vez que nasce um filhote, em qualquer parte do mundo, mesmo que em cativeiro, há muita celebração, como é o caso da chegada do mais novo morador do Jacksonville Zoo and Gardens, na Flórida.

O anúncio do nascimento foi feito na semana passada. Hendricks e Hemsworth são os pais do novo filhotinho. Ainda não se sabe o seu sexo porque nessa fase inicial os cuidadores deixam a família sozinha. Em 2019, a fêmea já tinha tido outro filhote.

“Temos muitos motivos para comemorar este novo bebê. Ele ou ela irá enriquecer ainda mais o ambiente social e a experiência do incrível grupo de lêmures de espécies mistas do zoológico e fortalecer a sustentabilidade da população do lêmure-preto-de olhos-azuis”, diz Tracy Fenn, curadora assistente de mamíferos.

O filhotinho junto com a mãe
(Foto: Jacksonville Zoo and Gardens)

Além dos seres humanos, os lêmures-pretos-de-olhos-azuis são os únicos primatas com essa cor de olhos. Quando jovens, os indivíduos da espécie apresentam uma pelagem em tons de marrom claro, igual a das fêmeas. Mas quando crescem, se forem machos, entre quatro ou oito semanas de vida, o pelo torna-se completamente preto, ressaltando ainda mais o tom claro dos olhos.

Olhos azuis são muito raros na natureza porque oferecem menos proteção à luz do sol do que os escuros. Esses lêmures dependem mais do olfato do que da visão para buscar alimentos, encontrar membros do próprio grupo e identificar possíveis ameaças.

Um macho no topo de uma árvore
(Foto: Charlie Marshall, CC BY 2.0, via Wikimedia Commons)

Arborícolas, os lêmures-pretos-de-olhos-azuis passam a maior parte do dia nas árvores, forrageando e cochilando. Além de frutas, também comem insetos, flores, folhas, sementes e fungos.

Um adulto pesa no máximo 2 kg e pesa, e mede, em média 50 cm, mas incluindo, seu rabo, que tem praticamente o mesmo tamanho, pode chegar a 1 metro. Em cativeiro, esses lêmures vivem até os 30 anos.

De acordo com o levantamento divulgado em 2020 pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês) quase 30% das espécies de lêmures estão criticamente ameaçadas de extinção. 103 das 107 das espécies analisadas correm risco de desaparecer devido, principalmente, à caça e ao desmatamento em Madagascar. Cada vez mais áreas são devastadas para a expansão da agricultura e também, pela indústria madeireira, que produz carvão.

As fêmeas e os filhotes dos lêmures-de-olhos-azuis têm o pelo marrom, mas os machos são pretos
(Foto: Los Angeles Zoo)

*Com informações adicionais do Los Angeles Zoo e do Duke Lemur Center

Leia também:
Estressada com barulho dos bombardeios, mãe abandona filhote de lêmure, agora cuidado pela equipe do zoológico de Kiev
Lêmure desaparece do Zoológico de São Francisco, na Califórnia, e é encontrado num parque infantil
Nascem primeiros filhotes de lêmures-preto-e-branco em cativeiro no Brasil

Foto de abertura: Jacksonville Zoo and Gardens