Pesquisadores dizem que Estrela de Belém era um OVNI

Pesquisadores dizem que Estrela de Belém era um OVNI

5 de janeiro de 2023 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

A estrela de Belém era um OVNI? Sua trajetória aparentemente direcionada levou muitos estudiosos a considerar a possibilidade de que fosse um dispositivo tripulado por seres inteligentes, entre outras teorias.

Alguns sábios chegaram a uma pequena cidade palestina chamada Belém seguindo um estranho sinal no céu.

É uma primavera quente do ano IV, ou talvez V, antes de nossa era, o momento em que se escreve uma história que terá um eco profundo pelos próximos 2.000 anos para bilhões de pessoas.

Esses sábios sabem que estão no final de um longo caminho que começaram há mais de três meses em sua distante terra de origem, a Mesopotâmia.

Um caminho repleto de dificuldades e desafios de todos os tipos, mas no qual sempre foi claro o rumo que deveriam seguir.

Havia algo do céu mostrando-lhes o caminho:

Alguns a chamariam mais tarde de estrela, mas outros diziam que era outra coisa, uma daquelas luzes que aparecem no céu de vez em quando e se movem através dele.

Uma luz brilhante que lhes dizia para onde ir, que se movia com eles e quando tinham que parar, ficava parada no céu. Uma luz estranha que muitos acreditam que, se tivesse que ser chamada de alguma coisa, a palavra-chave hoje seria OVNI.

Aqueles sábios do Oriente viram em seus observatórios uma estranha luz que apareceu de repente no céu e decidiram segui-la. Todos os dias a luz se movia com eles e, quando se aproximava do Mediterrâneo, parava sobre a cidade de Jerusalém.

Lá aqueles sábios conversaram com o rei e explicaram que o motivo da viagem era para homenagear o novo herdeiro, o novo rei que acabara de nascer.

Então os magos seguiram aquela luz novamente enquanto ela se movia pelo céu até parar sobre aquela pequena cidade localizada a apenas 7 km de Jerusalém. Era o sinal de que sua jornada havia terminado. Lá estava o escolhido.

“Quando Jesus nasceu em Belém da Judéia, nos dias do rei Herodes, magos vieram do Oriente a Jerusalém, dizendo: ‘Onde está o rei dos judeus que acabou de nascer? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo.

Estas linhas do Evangelho de Mateus são a primeira referência à estrela de Belém. Alusão que se complementa alguns versículos depois quando, após a entrevista dos Magos com o rei Herodes, o texto bíblico diz:

“Eis que a estrela que tinham visto no Oriente ia adiante deles até que, chegando, parou onde estava o Menino. E quando viram a estrela, regozijaram-se com grande alegria.”

O que poderia ser aquela luz que aparentemente os guiou de forma inteligente ao longo de sua jornada?

Muitas são as respostas possíveis que foram consideradas: desde alinhamentos astrológicos até fenômenos astronômicos incomuns, como meteoritos, novas estrelas ou cometas, passando por espetaculares conjunções planetárias.

Mas todas essas possibilidades não explicam o estranho comportamento daquela estrela singular que guiou os Magos do Oriente. Um comportamento que muitos estudiosos não hesitaram em descrever como inteligente.

A estrela de Belém não só indicava o caminho que deviam seguir, mas o que é ainda mais importante, vinha parar duas vezes para indicar onde deviam parar: primeiro sobre Jerusalém e depois sobre Belém, onde estava o recém-nascido Jesus.

Não há fenômeno natural que justifique esse prodígio, e somente se fosse algo com controle inteligente esse comportamento poderia ser explicado.

Admitindo-se a realidade do relato bíblico, não há explicação natural que coincida com a descrição da estrela de Belém. .