O objeto mais perigoso do Planeta

O objeto mais perigoso do Planeta

30 de julho de 2018 0 Por eevaldo
Compartilhar:

O objeto mais perigoso do Planeta

pata de elefante

Algo terrível aconteceu em 1986, um acidente radioativo da Usina Nuclear de Chernobyl, situada na Ucrânia, deixando além das mortes e contaminação local.

Chernobyl depois do desastre

Chernobyl depois do desastre

Esse maior desastre da história envolvendo radioatividade “criou” um agente contaminador, em consequência de um super aquecimento no Reator 4.

Na tentativa de conter o aquecimentos da vazão radioativa de Chernobyl, foram usados helicópteros para jogar areia, argila e depois chumbo. Mas o calor contido gerou uma imensa “lava” de alto poder de contaminação, essa lava é capaz de matar tudo o que se aproximar dela.

Conhecida como Corium, nome em inglês, a mesma “lava” é chamada comumente de Medusa Nuclear ou Pata de Elefante (termo este usado devido a semelhança com uma pata de elefante).

As dimensões da lava estão entre 2,0 m de comprimento e 1,0 m de altura. O peso é cerca de 1200 quilogramas e a radiação emitida por ela é de 10000 R (dez mil Roentgens), daí a explicação para tamanho perigo, pois cerca de apenas 1000 R em alguns minutos provoca hemorragia interna dos orgãos nos seres humanos, nosso cérebro é bastante afetado, em dois dias no máximo perecemos.

15 rg’s é um número de radiação normal
50 rg’s é uma quantidade encontrada em laboratórios e precisa de proteção
70 rg’s provoca tonturas, vômitos e desmaios
100 rg’s faz com que as pessoas percam cabelos
300 rg’s já é suficiente para matar
400 rg’s faria com que você morresse entre duas a três semanas
600 rg’s causaria queimaduras na pele, fígado, cérebro entre outros e não viveria mais de 2 dias.
1000 rg’s que é considerada uma quantidade brutal, destruiria todo o seu sistema nervoso e poderia te matar em até 3 minutos.
pata de elefante

Pata de Elefante

Após a descoberta do perigo desse objeto, robôs de alta tecnologia foram enviados para tentar descobrir mais sobre o tal objeto, e para infelicidade dos pesquisadores, os robôs pararam de funcionar depois de pouco tempo perto do pé de elefante.

Veja o vídeo do canal explicando como o objeto se formou: