Nasa recruta teólogos para avaliar como o mundo reagiria à descoberta de vida alienígena

Nasa recruta teólogos para avaliar como o mundo reagiria à descoberta de vida alienígena

4 de janeiro de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Astrônomo-chefe do Vaticano disse que não há conflito entre acreditar em Deus e na possibilidade de ‘irmãos extraterrestres’

A Nasa, agência espacial norte-americana, está de olho nos céus em busca de ajuda para avaliar como os humanos reagirão se vida alienígena for encontrada em outros planetas e como a descoberta pode impactar nossas ideias sobre deuses e criação. Recentemente, cientistas da agência alertaram que “Precisamos de um plano para quando descobrirmos vida alienígena”.

A agência está contratando 24 teólogos para participar de seu programa no Center for Theological Inquiry (CTI) – Centro de Investigação Teológica, da Universidade de Princeton, em Nova Jersey, onde a agência concedeu uma doação de US$ 1,1 milhão em 2014.

O CTI é descrito como a construção de ‘pontes de compreensão, reunindo teólogos, cientistas, acadêmicos e formuladores de políticas para pensar juntos – e informar o pensamento público – sobre questões globais’.

O programa tem como objetivo responder a perguntas que nos intrigam desde o início dos tempos, como o que é a vida? O que significa estar vivo? Onde traçamos a linha entre o humano e o alienígena? Quais são as possibilidades de vida senciente em outros lugares?

Agora que a Nasa tem dois rovers em Marte, várias sondas orbitando Júpiter e Saturno e lançou recentemente o telescópio James Webb que estuda a formação de galáxias, estrelas e planetas no universo, parece que a agência espera que esteja no caminho certo para descobrir a vida fora da Terra.

Reverendo Dr. Andrew Davisonpadre e teólogo da Universidade de Cambridge com doutorado em bioquímica por Oxford, está entre os 24 teólogos, informa o The Times.

“As tradições religiosas seriam uma característica importante em como a humanidade funcionaria por meio de qualquer confirmação de vida em outro lugar”, escreveu Davidson em um blog no site da Universidade de Cambridge.

“Por isso, faz parte do objetivo contínuo da NASA apoiar o trabalho sobre ‘as implicações sociais da astrobiologia’, trabalhando com várias organizações parceiras, incluindo o Centro de Investigação Teológica de Princeton.”

Davison deve publicar um livro no próximo ano, intitulado Astrobiologia e Doutrina Cristã, que afirma que ele acredita que estamos cada vez mais perto de encontrar vida em outros planetas. “Pessoas não religiosas também parecem superestimar os desafios que as pessoas religiosas… experimentariam se confrontado com evidências de vida alienígena.”, diz o Reverendo em sua publicação.

Estudos e pesquisas mostraram que os cristãos americanos têm menos probabilidade de acreditar que existe vida em outros planetas, mas Davison não é o único ‘crente’ que acha que a ideia de extraterrestres é possível.

A brasileira radicada nos Estados Unidos Duilia de Mello, astrônoma e professora de física da Catholic University of America (Universidade Católica da América), disse que tem vários seminaristas em suas aulas que frequentemente levantam questões teóricas sobre a vida inteligente no universo. “Se somos produtos da criação, por que não poderíamos ter vida evoluindo em outros planetas também? Não há nada que diga o contrário”, disse ela ao The Washington Post em agosto.

Em 2008, o astrônomo-chefe do Vaticano disse que não há conflito entre acreditar em Deus e na possibilidade de ‘irmãos extraterrestres’ talvez mais evoluídos do que os humanos. “Na minha opinião, essa possibilidade (de vida em outros planetas) existe”, disse o reverendo José Gabriel Funes, um padre jesuíta de 45 anos que é chefe do Observatório do Vaticano e conselheiro científico do Papa Bento XVI.

“Como podemos excluir que a vida se desenvolveu em outro lugar”, disse ele ao jornal do Vaticano L’Osservatore Romano explicando que o grande número de galáxias com seus próprios planetas tornou isso possível. Questionado se referia a seres semelhantes aos humanos ou até mais evoluídos que os humanos, ele disse: “Certamente, num universo deste tamanho não se pode excluir esta hipótese”.

Nem todos os teólogos concordam com a ideia de vida em outros planetas

Albert Mohler, presidente do Southern Baptist Theological Seminary, disse em uma entrevista de 2008 quando questionado se existem alienígenas: “A resposta é não; isso é especulativo. Não temos razão para acreditar que exista qualquer outra história por aí. Não há nada nas Escrituras que diga que não pode haver alguma forma de vida em algum lugar. Mas o que nos é dito é que o cosmos foi criado para que neste planeta Jesus Cristo, no espaço, no tempo e na história, viesse para salvar a humanidade pecadora”.

Telescópio James Webb

O super telescópio James Webb, que foi lançado nesta semana, pode, no entanto, mudar a maneira como olhamos o universo e talvez o que está escrito nas escrituras de todas as religiões. Ele foi descrito como uma “máquina do tempo” que poderia ajudar a desvendar os segredos do nosso universo, com objetos distantes emitindo luz mais distante no tempo.

O telescópio será usado para observar as primeiras galáxias nascidas no início do universo, há mais de 13,5 bilhões de anos. O objetivo deste poderoso dispositivo é desvendar os mistérios de buracos negros supermassivos, mundos alienígenas distantes, explosões estelares, matéria escura e muito mais.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui