NASA está oficialmente investigando OVNIs

NASA está oficialmente investigando OVNIs

7 de agosto de 2022 0 Por ucrhyan
Compartilhar:

A NASA anunciou planos para começar a estudar OVNIs de maneira rigorosamente científica antes de publicar as descobertas em relatórios públicos. Os especialistas do estudo vão analisar dados acerca de avistamentos de OVNIs, descobrir como registrá-los e filmá-los no futuro, e determinar como a NASA pode usar a nova informação para aprimorar a compreensão científica dos objetos misteriosos.

anúncio da nova iniciativa, que deve levar nove meses para ser finalizada, ocorre apenas três semanas depois de uma audiência no Congresso estadunidense, onde legisladores interrogaram dois especialistas sênior em inteligência e defesa acerca de múltiplos relatórios sobre OVNIs feitos por pilotos militares.

A audiência focou no relatório de junho de 2021 do Pentágono, que reportou 144 avistamentos de OVNIs por pilotos da marinha norte-americana desde 2004, a maioria dos quais o departamento concluiu que “provavelmente de fato representam objetos físicos”.

Dos 144 avistamentos, 18 foram relatados como apresentando comportamentos de voo extremamente incomuns, movendo-se velozmente e sem meios discerníveis de propulsão.

Alguns dos vídeos, assim como testemunhas oculares, apontam que alguns dos OVNIs também se moviam em velocidades hipersônicas.

Imagem de um suposto OVNI filmado no Combat Information Center pela marinha americana em 15 de junho de 2019. Imagem: Jeremy Corbell/YouTube

O novo estudo de OVNIs

O novo estudo da NASA vai ser liderado pelo astrofísico David Spergel, e orsquestrado pelo vice administrador associado assistente para pesquisa na Diretoria de Missões Científicas da NASA, Daniel Evans.

“Devido à escassez de observações, nossa primeira tarefa é simplesmente reunir o conjunto de dados mais robusto que pudermos”, disse Spergel em declaração. “Nós vamos identificar quais dados – dos civis, governo, ONGs, empresas – existem, quais outros nós deveríamos tentar coletar, e a melhor forma de analisá-los”.

A última vez que uma investigação extensiva feita pelo governo norte-americano acerca de OVNIs ocorreu foi em 1969, quando uma investigação da Força Aérea dos EUA chamada Projeto Livro Azul terminou considerando que nenhum objeto voador não-identificado tinha sido verificado, e que nenhum deles tinha sido considerado como uma ameaça à segurança nacional.

50 anos mais tarde, em 2017, o The New York Times e o Politico liberam uma série de relatórios acerca de um departamento secreto de pesquisa de OVNIs no pentágono. Os relatórios incluíam testemunho de pilotos da marinha que tinham encontrado ou avistado objetos aéreos estranhos quase “diariamente”.

Visão artística de um disco voador. Imagem: Pixabay

Desde então, tanto o ex-presidente Donald Trump como o atual governante, Joe Biden, solicitaram que os militares emitissem relatórios acerca do que sabiam sobre OVNIs, com o último estipulando que criassem um novo departamento para investigar OVNis, além de produzir um relatório anual e consultas semestrais com o Congresso.

Subsequentemente, um novo relatório de nove páginas em 2021, e a audiência do último mês, não dão muitos detalhes. O relatório só conseguiu explicar um dos avistamentos (que era apenas um balão), afirmando que “atualmente faltam dados que poderiam indicar que qualquer OVNI seja parte de um programa de coleta estrangeiro ou indicativo de um grande avanço tecnológico de algum adversário em potencial”.

O relatório de 2021 também negou que qualquer um dos avistamentos tinha qualquer relação com testes clandestinos feitos pelos militares dos EUA.

Os oficias da NASA enfatizaram que não há nenhuma evidência de que os OVNIs são de origem extraterrestre, ainda que sejam de interesse ao governo norte-americano devido a razões de segurança nacional e aérea.

O testemunho do especialista de defesa em maio também descreveu como os OVNIs tinham se envolvido em 11 “quase” colisões com aeronaves do país. O subcomitê também ouviu que havia rumores acerca de alguns encontros terem ocorrido acima de instalações nucleares sensíveis, como um suposto incidente na Base Aérea de Malmstrom em Montana, onde 10 misseis balísticos intercontinentais nucleares tinham ficado inoperáveis após uma orbe vermelha e brilhante ter sido vista acima.