NASA DIZ QUE PRECISAMOS ESTAR PREPARADOS PARA A DESCOBERTA DE VIDA EXTRATERRESTRE

NASA DIZ QUE PRECISAMOS ESTAR PREPARADOS PARA A DESCOBERTA DE VIDA EXTRATERRESTRE

26 de fevereiro de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Agência espacial propôs a criação de uma escala que ajudaria a definir existência de seres vivos fora da Terra

A NASA quer que estejamos preparados para quando a existência de vida fora da Terra for comprovada. Para isso, a agência espacial dos Estados Unidos está incentivando a comunidade científica a estabelecer um novo protocolo envolvendo descobertas relacionadas ao tema. A ideia é criar uma escala para avaliar e combinar diferentes linhas de evidência que, em última análise, levariam a responder à pergunta final: estamos sozinhos no universo?
 

Vida fora da Terra

A proposta foi feita por um grupo de cientistas da NASA em um artigo assinado por Jim Green, cientista-chefe da agência e  publicado na revista Nature. “Realisticamente, nossa geração pode ser aquela que descobrirá evidências de vida fora da Terra”, diz o texto. “Com esse potencial privilegiado, vem a responsabilidade”, completou o pesquisador.
 

No artigo, os pesquisadores da NASA propõem a criação de uma escala de evidência de vida alienígena. O objetivo da agência é tornar a busca por seres extraterrestres menos “binária”, abordando o tema de forma mais complexa.  A escala contém sete níveis, refletindo o caminho complicado necessário para comprovar a existência de vida fora da Terra.

O protocolo começaria com a detecção remota de algo que poderia sugerir a existência de vida, avançaria para excluir fatores não biológicos, fazendo observações reais e, finalmente, conduziria observações de acompanhamento para ter certeza de que a vida existe. “Ter uma escala como essa nos ajudará a entender onde estamos em termos de busca por vida em locais específicos e também das capacidades de missões e tecnologias que nos ajudam nessa busca”, disse Green. A NASA espera que, no futuro, os estudos de astrobiologia sejam elaborados respeitando tal escala. 

Fontes NASA, Science Alert e NPRImagens iStock