Interior da Terra abrigaria seis vezes mais água que todos os oceanos, diz estudo

Interior da Terra abrigaria seis vezes mais água que todos os oceanos, diz estudo

21 de outubro de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

A substância não está concentrada em um grande oceano, mas presa no interior de minerais na zona de transição do manto terrestre

Uma nova pesquisa aponta que foram encontradas novas evidências sobre a existência de grandes quantidades de água em uma área do interior da Terra conhecida como “zona de transiçãoLocalizada entre 410 e 660 quilômetros de profundidade, ela separa o manto superior e o inferior do nosso planeta. De acordo com os pesquisadores, o local tem potencial para abrigar seis vezes mais água que todos os oceanos.

Raro diamante

A descoberta foi feita ao estudar um raro diamante retirado de uma profundidade de 600 quilômetros na mina Karowe, em Botswana.  Ao analisá-lo, os pesquisadores verificaram que ele continha minerais hidratados. De acordo com o novo estudo, publicado na revista Nature Geoscience, isso indica que um ambiente baseado em água se estende até o manto inferior da Terra.

Diamante encontrado em Botswana
Diamante encontrado em Botswana (Imagem: Tingting Gu/Gemological Institute of America/Divulgação, via Universidade de Frankfurt)

As análises revelaram que o diamante contém inúmeras inclusões do mineral ringwoodita, apresentando alto teor de água. “Neste estudo, demonstramos que a zona de transição não é uma esponja seca, mas contém quantidades consideráveis de água”, disse Frank Brenker, do Instituto de Geociências da Universidade Goethe em Frankfurt, na Alemanha. “Isso também nos aproxima da ideia de Júlio Verne de um oceano dentro da Terra”, completou. A diferença é que não há um oceano lá embaixo, mas rochas hidratadas que, segundo Brenker, não pingariam água nem pareceriam molhadas.

Segundo os pesquisadores, minerais densos como a ringwoodita podem armazenar grandes quantidades de água. Na verdade, essa capacidade é tão grande que a zona de transição teoricamente poderia absorver seis vezes a quantidade de água presente em nossos oceanos. A nova descoberta poderá ajudar a melhorar a compreensão dos cientistas sobre o ciclo de águas profundas no interior da Terra.