ímã gigante pode ser usado para pescar meteorito que caiu no oceano em 2014

ímã gigante pode ser usado para pescar meteorito que caiu no oceano em 2014

13 de agosto de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Pesca magnética é uma prática que se popularizou nos últimos anos com vídeos de pessoas que encontraram itens de metal inusitados que caíram em rios e lagos muitos tempo antes de serem retirados. Para isso, é utilizado um imã potente que gruda nesses objetos embaixo da água. No entanto, a curiosa técnica agora pode ser usada para pescar um meteorito.

O CNEOS 2014-01-08 caiu na Terra em 2014 e não é qualquer meteorito. Astrônomos acreditam que esse pode ser um objeto espacial que veio de fora do nosso sistema solar. Caso seja confirmado, essa seria a primeira vez que teríamos a chance de observar de perto um desses. Os outros dois objetos interestelares que passaram por nosso sistema solar foram o Oumuamua e o Borisov, mas nenhum deles com o potencial de exploração do atual.

“Encontrar tal fragmento representaria o primeiro contato que a humanidade já teve com material maior que poeira de fora do sistema solar”, explica Amir Siraj, astrofísico da Universidade de Harvard e primeiro autor de um novo artigo sobre o tema à Live Science.

Pesca de meteorito interestelar 

Siraj identificou a origem interestelar do objeto em um estudo de 2019 com 99,999% de confiança. No entanto, a pesquisa ainda não passou pelo processo de revisão de pares e a divulgação oficial veio em abril deste ano pelo Comando Espacial dos Estados Unidos. “Ele atingiu a atmosfera a cerca de 160 quilômetros da costa de Papua Nova Guiné no meio da noite, com cerca de 1% da energia da bomba de Hiroshima”, completou.

Agora, um imã vai ser usado para tentar puxar o objeto. “A maioria dos meteoritos contém ferro suficiente para aderir ao tipo de ímã que planejamos usar para a expedição oceânica”, disse ele. “Dada a sua resistência material extremamente alta, é muito provável que os fragmentos do CNEOS 2014-01-08 sejam ferromagnéticos.” 

O navio vai sair da Papua Nova Guiné e usará um trenó magnético em um guincho de espinhel, que será rebocado ao longo do fundo do mar a 1,7 km por 10 dias. A expectativa é encontrar fragmentos do objeto interestelar. A missão não tem data para acontecer, já que ainda é necessário o financiamento de US$ 500 mil para sua realização.

“A alternativa de estudar um objeto interestelar de perto é lançar uma missão espacial para um objeto futuro passando pela vizinhança da Terra”, finaliza Siraj explicando que seu projeto é bastante barato em comparação com missões espaciais.