Homem descobre que seu apoio de porta é um meteorito de 10Kg que vale mais de $100 mil dólares

Compartilhar:

Alguns museus já cogitam a compra da peça para seu acervo

Já pensou passar mais de 30 anos usando uma pedra para segurar a porta de entrada de sua propriedade sem nem desconfiar que ela vale uma fortuna? Pois foi exatamente isso o que aconteceu com o proprietário de uma fazenda localizada no Estado de Michigan, nos EUA.

O homem, que pediu para não ser identificado, contou que quando ele comprou a fazenda em 1988 notou uma pedra muito esquisita que servia de calço para o portão de entrada da propriedade.

O antigo proprietário disse que a rocha era um meteorito, que tinha caído ali mesmo na fazenda alguns anos atrás, causando um grande estrondo, e que ele e seu pai encontraram a cratera posteriormente. Depois de escavarem um pouco, conseguiram encontrar o tal meteorito ainda quente.

Mesmo com esse relato muito convincente, o atual dono da fazenda não deu muita importância para a história, e assim a pedra esquisita passou mais 30 anos servindo de apoio para o portão de entrada da fazenda.

Recentemente o proprietário da fazenda resolveu levar sua pedra, que pesa mais de 10Kg, para uma análise na Universidade Central de Michigan, onde ela foi examinada pela geóloga Mona Sirbescu, que revelou sua origem meteorítica.

meteorito era usado como apoio de portas e vale 100 mil dólares
Geóloga Mona Sirbescu e o meteorito que vale 100 mil dólares.
Créditos: Central Michigan University

A rocha é composta de 88% de ferro e 12% de níquel, informação confirmada por uma segunda análise no Smithsonian Institution em Washington.

De acordo com especialistas, a depender do tipo de meteorito, cada grama do material pode custar entre $0,50 e $10 dólares. E no caso desse “apoio de porta esquisito”, o preço é exatamente o mais alto, o que faz com que esse meteorito possa facilmente ser vendido por mais de $100 mil dólares!

A rocha espacial se transformou agora em objeto de desejo de vários museus, e segundo a geóloga Mona Sirbescu informou em entrevista a jornais locais, o museu do Maine e o Smithsonian Institute estão considerando adquirir o meteorito para o acervo.

Imagens: (capa-Smithsonian Institute) / Central Michigan University

Fonte

 

KF