Gigantesco raio que subiu da terra até a borda do espaço intriga cientistas

Gigantesco raio que subiu da terra até a borda do espaço intriga cientistas

30 de agosto de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Pela primeira vez, a ciência conseguiu mapear de forma detalhada esse fenômeno raro e imprevisível 

Um cientista amador fotografou um raio enorme e incomum durante uma forte tempestade elétrica em Oklahoma, nos Estados Unidos, em maio de 2018. Diferentemente dos relâmpagos comuns, este partiu de baixo para cima, atingindo a borda inferior do espaço com uma luminosidade em tons azulados, apresentando uma carga elétrica cem vezes superior à média. O fenômeno raro, conhecido como “jato gigantesco”, agora é alvo de um estudo publicado no periódico científico Science Advances.

Jatos gigantescos

Jatos gigantescos haviam sido observados e estudados nas últimas duas décadas, mas como não há um sistema de observação específico para procurá-los, as detecções têm sido raras. Felizmente, o fenômeno em Oklahoma foi registrado por um sistema sofisticado de radares meteorológicos localizado próximo de onde ele ocorreu, fornecendo dados inéditos. “Conseguimos mapear este jato gigantesco em três dimensões com dados de alta qualidade”, disse Levi Boggs, cientista do Georgia Tech Research Institute.

“Os dados detalhados mostraram que essas serpentinas frias (pequenas estruturas que estão na ponta do relâmpago), iniciam sua propagação logo acima do topo da nuvem”, explicou Boggs. “Eles se propagam até a ionosfera inferior a uma altitude de 80 a 96 quilômetros, fazendo uma conexão elétrica direta entre o topo da nuvem e a ionosfera inferior, que é a borda inferior do espaço”, disse o cientista. A descarga ascendente transferiu milhares de amperes de corrente em cerca de um segundo da nuvem para a ionosfera, comportamento típico de jatos gigantescos.

Jato gigantesco
Jato gigantesco

Apesar de o estudo ajudar a compreender melhor o fenômeno, nem todos os mistérios a seu respeito foram desvendados. Uma das muitas perguntas sem resposta sobre os jatos gigantescos é: por que eles lançam cargas em direção espaço? Os pesquisadores especulam que algo pode estar bloqueando o fluxo de carga para baixo – ou em direção a outras nuvens. Novas pesquisas serão necessárias para avaliar essa hipótese.

FONTES

UNIVERSITIES SPACE RESEARCH ASSOCIATION (USRA)

IMAGENS

ISTOCK