Falcon 9 se desintegra sobre o México; veja

Falcon 9 se desintegra sobre o México; veja

8 de fevereiro de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Moradores dos estados de Baja California e Sinaloa, no México, foram presenteados com um espetáculo nos céus na noite deste domingo (6). O segundo estágio de um foguete Falcon 9, da SpaceX, reentrou na atmosfera sobre a região, gerando múltiplos rastros luminosos de longa duração.

O foguete em questão era o Falcon 9 B1030, que em 16 de março de 2017 lançou a missão EchoStar 23, com um satélite projetado para melhorar os serviços de telecomunicação aqui no Brasil. 

Conhecidos por sua capacidade de “pousar” após o lançamento, os foguetes Falcon 9 são parcialmente reutilizáveis. O que volta à Terra é o primeiro estágio, o componente mais caro e que dá a maior parte do impulso na jornada ao espaço. O segundo estágio, que dá o “empurrão final” da carga para sua órbita, é descartado no espaço e eventualmente reentra nossa atmosfera como ocorreu sobre o México.

A reentrada é um processo violento: viajando em alta velocidade, o objeto enfrenta o atrito com os gases de nossa atmosfera, cada vez mais densa à medida que a altitude diminui. Isso aquece as moléculas, gerando um plasma superaquecido que incinera completamente o objeto.

É o que gera rastros luminosos como os vistos no céu no México. Neste caso, o Falcon 9 parece ter sido completamente vaporizado, e não há registro de que pedaços tenham chegado ao solo. 

Entretanto, é possível que em foguetes de grande porte peças mais resistentes, como tanques de combustível feitos de titânio ou material composto reforçado, atinjam o solo. É por isso que reentradas “descontroladas”, como as realizadas por objetos russos e chineses recentemente, causam preocupação, já que poderiam causar danos caso atingissem áreas povoadas. Felizmente, não foi o que aconteceu.