Explosão Recorde é registrada em Proxima Centauri, estrela vizinha do Sistema Solar

Explosão Recorde é registrada em Proxima Centauri, estrela vizinha do Sistema Solar

10 de agosto de 2022 0 Por ucrhyan
Compartilhar:

A estrela mais próxima do Sistema Solar emitiu um flare de radiação super-potente – o maior já visto na Via Láctea

O Sol pode até ser uma estrela gigantesca perto de Próxima Centauri (a estrela mais próxima do Sistema Solar), porém, quando o assunto é explosão e atividade estelar, a nossa estrela vizinha não deixa nada a desejar…

A estrela mais próxima do Sistema Solar, Proxima Centauri, emitiu sua maior explosão já registrada, com uma potência cerca de 100 vezes maior do que qualquer explosão observada no Sol.

Explosões ou flares são eventos intensos que ocorrem quando as linhas do campo magnético de uma estrela se retorcem e quebram, liberando em um único ponto uma grande quantidade de energia eletromagnética acumulada.

Proxima Centauri é uma estrela anã vermelha que tem 1/8 da massa do Sol, e está localizada a uma distância de 4,2 anos-luz daqui, na direção da constelação do Centauro.

Não é novidade o fato das estrelas emitirem explosões. Isso é normal, e até mesmo o nosso Sol faz isso com frequência. Porém, o que foi observado em Proxima Centauri é absurdo se compararmos com o Sol.

Essa foi a primeira vez que os cientistas conseguiram observar uma explosão de uma estrela além do Sol com tanta definição. A pesquisa foi liderada por uma equipe de cientistas da Universidade do Colorado em Boulder, nos EUA, e foi publicada na revista The Astrophysical Journal Letters.

super-explosão em Proxima Centauri foi registrada no dia 1° de maio de 2019, mas só agora foi publicada.

Com duração de meros sete segundos, Proxima Centauri ficou 14.000 vezes mais brilhante através do ultravioleta. Já se observada na luz-visível, não houve alteração significativa.

explosão em Proxima Centauri foi registrada por cinco telescópios: Telescópio Espacial Hubble, TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite), ASKAP (Australian Swuare Kilometer Array Pathfinder) e o ALMA (Atacama Large Millimeter/Submillimiter Array).

Acredita-se inclusive que essa explosão observada em Proxima Centauri tenha sido uma das mais violentas de toda a Via Láctea. Isso gera um ambiente inóspito para planetas que estejam orbitando estrelas desse tipo, como é o caso de Proxima Centauri b e Proxima Centauri c. Explosões como essa podem destruir organismos vivos ou, por exemplo, acabar com a atmosfera de um planeta.

Por outro lado, a radiação liberada numa explosão como essa pode desencadear reações que por ventura, dão origem a vida. Além disso, aqui mesmo na Terra já conhecemos organismos que sobrevivem a radiações intensas, como os tardígrados.

“Se houvesse vida no planeta mais próximo de Proxima Centauri, ela teria que ser muito diferente de qualquer coisa na Terra. Um ser humano lá passaria por maus bocados”, disse a astrofísica Meredith MacGregor, autora principal do estudo.

Observar e compreender explosões estelares como essa pode ajudar os cientistas a entender os mecanismos e a atividade estelar. Nosso Sol também é uma estrela, e conhecer a atividade de outras estrelas pode nos ajudar a compreender melhor a atividade solar, e assim, contribuir no estudo que ajuda a proteger a nossa tecnologia de explosões solares.

Será que ambientes extremos como o de Proxima b pode ser capaz de abrigar vida, mesmo estando ao lado de explosões tão catastróficas? Infelizmente, ainda não temos uma resposta para essa grande questão…