Experiência quântica revela dados surpreendentes sobre uma molécula orgânica

Experiência quântica revela dados surpreendentes sobre uma molécula orgânica

12 de julho de 2022 0 Por ucrhyan
Compartilhar:

Para a comunidade científica e em teoria, uma partícula ou grupo delas é uma onda, essa descrição abrange diversos seres vivos inclusive humanos, essas ondas podem ocupar vários espaços ao mesmo tempo.

Portanto, os cientistas afirmam que, da mesma forma, dois pedaços de matéria podem estar em lugares diferentes ao mesmo tempo, esse fenômeno é chamado de superposição quântica.

Esse fenômeno só havia sido demonstrado com partículas pequenas, mas nos últimos anos esses experimentos vêm crescendo e partículas maiores começaram a ser usadas.

Um grupo de cientistas pertencentes à Universidade de Viena, e em conjunto com o apoio e colaboração da Universidade de Basel, conseguiu que moléculas orgânicas complexas estivessem em lugares diferentes ao mesmo tempo; tendo um comportamento quase igual ao de um feixe de luz.

O experimento de superposição quântica

Para realizar esse experimento, os cientistas empreenderam a tarefa de construir uma grande estrutura molecular, que tem um peso de mais de vinte e cinco mil vezes a massa de um único átomo de hidrogênio.

Essa máquina especial tem a capacidade de disparar feixes dessa molécula, e cientistas da Universidade de Viena conseguiram fazer com que moléculas compostas por dois mil átomos estivessem em dois lugares diferentes ao mesmo tempo.

A grande máquina conseguiu lançar um feixe de dois metros de comprimento, o que permitiu estimar a influência dos fatores gravitacionais, mantendo as moléculas a uma temperatura adequada para a realização do experimento.

As moléculas estudadas mostraram que podem ocupar diferentes lugares no espaço e ao mesmo tempo, conforme o que foi detectado na extremidade do feixe.

Segundo a opinião de especialistas, esse experimento de interferência quântica é o maior já observado na história.

Não foi fácil conseguir

Embora os resultados finais tenham sido satisfatórios, para alcançá-los foi necessário realizar uma série de experimentos anteriores, já que para construir a enorme máquina, foram tomados como premissa antigos experimentos que demonstravam a superposição quântica.

Um dos primeiros experimentos que deram base para alcançá-lo, ocorreu no ano de 1920, onde alguns físicos mostraram que os elétrons, ao serem disparados através de cristais ou filmes finos, criavam ou formavam padrões de luz na superfície posterior do material. eles difratavam.

No entanto, realizar o mesmo experimento com moléculas grandes foi mais complicado, pois essas moléculas possuem ondas que dificilmente podem ser detectadas.

Uma vez criada a máquina e considerando todos esses aspectos, quando ela foi ligada, os cientistas descobriram que nos detectores localizados nas extremidades do feixe mostravam uma interferência, mostravam que as moléculas podiam ocupar diferentes espaços ao mesmo tempo .