Clima de Halloween: asteroide em formato de caveira é visto voando perto da Terra

Clima de Halloween: asteroide em formato de caveira é visto voando perto da Terra

31 de outubro de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Nesta segunda-feira (31), é comemorado o Dia das Bruxas, data mais conhecida como Halloween, típica dos países anglo-saxônicos, em especial os EUA, Canadá, Irlanda e Reino Unido. Há sete anos, neste mesmo dia, um asteroide em formato de crânio humano fez uma passagem próxima da Terra.

Durante sua aproximação máxima, a assustadora rocha espacial estava a cerca de 480 mil km da Terra, cerca de 1,3 vezes a distância média daqui até a Lua, o que não representava uma ameaça ao nosso planeta.

Por volta de três semanas antes de chegar a essa distância da Terra, o asteroide-crânio foi descoberto por astrônomos do observatório Pan-STARRS, localizado no Havaí, que lhe conferiram a designação oficial de “2015 TB145”. 

Até aquele momento, no entanto, ele era apenas um pequeno ponto no espaço, não tendo sido revelada sua curiosa forma. Em 30 de outubro de 2015, o objeto de 400 m de largura foi fotografado pelo Observatório Arecibo, em Porto Rico, e, para surpresa de todos, ele parecia o rosto de uma caveira, ganhando o apelido de “Asteroide do Halloween”.

Na véspera de sua passagem mais próxima da Terra, em 2015, o asteroide “2015 TB145, em formato de caveira, foi fotografado pelo Observatório Arecibo. Imagem: Centro Nacional de Astronomia e Ionosfera (Observatório de Arecibo)

De acordo com o site Space.com, aquele foi o encontro mais próximo de uma rocha espacial tão grande com a Terra até agosto de 2027, quando o AN10 1999, de 800 m de largura, chegará a 385 mil km do nosso planeta.

Na ocasião, a NASA chegou a cogitar que o objeto poderia ser, na verdade, um cometa. “Sua órbita é muito oblonga com uma alta inclinação para abaixo do plano do sistema solar”, disse Lance Benner, do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da agência, em um comunicado da época. 

Segundo Benner, tal órbita única, juntamente com sua alta velocidade de encontro – cerca de 35 quilômetros por segundo – levanta a questão de poder ser algum tipo de cometa. “Se assim for, esta seria a primeira vez que os radares da Deep Space Network, na Califórnia, captam a imagem de um cometa a uma distância tão próxima”.