Cidade submersa de 3400 anos emerge do rio Tigre (Vídeo)

Cidade submersa de 3400 anos emerge do rio Tigre (Vídeo)

6 de julho de 2022 0 Por ucrhyan
Compartilhar:

Uma equipe de arqueólogos alemães e curdos escavou uma cidade da era do Império Mittani de 3.400 anos que surgiu no rio Tigre.
O assentamento foi anteriormente submerso com a construção do reservatório de Mosul, mas desde então ressurgiu devido aos níveis de água mais baixos causados pela seca extrema.

A cidade, localizada no atual Kemune na região do Curdistão do Iraque, possui um palácio e vários grandes edifícios que poderiam ser a antiga cidade de Zakhiku – um importante centro do Império Mittani (1550-1350 aC).

Cidade da Idade do Bronze ressurgiu devido à seca

O Iraque pode ser afetado pelas mudanças climáticas, muitas vezes resultando em secas extremas durante meses. Isso causou grandes dificuldades para o setor agrícola e a drenagem de grandes quantidades de água retirada do reservatório de Mosul para apoiar as plantações dos agricultores. Os níveis de água mais baixos permitiram o reaparecimento da cidade da Idade do Bronze, que até agora nunca foi investigada por arqueólogos.

Em pouco tempo, os arqueólogos mapearam grandes áreas da cidade e documentaram o palácio, vários edifícios de grande porte, uma muralha fortificada, torres, edifícios de armazenamento de vários andares e um complexo industrial.

De particular interesse é a descoberta de cinco vasos de cerâmica que continham um arquivo de mais de 100 tábuas cuneiformes que datam do período da Assíria Média.

Algumas tabuletas de argila (que podem ser cartas) ainda estão em seus envelopes de argila originais. Os pesquisadores esperam que esta descoberta forneça informações importantes sobre o fim da cidade do período Mittani e o início do domínio assírio na região.

O Dr. Peter Pfälzner, da Universidade de Tübingen, disse: “É quase um milagre que tabuletas cuneiformes feitas de argila crua tenham sobrevivido tantas décadas debaixo d’água”.

Para evitar danos ao importante local pela subida das águas do reservatório, os edifícios escavados foram completamente cobertos com lonas plásticas apertadas e enterrados sob o cascalho como parte de um extenso projeto de conservação financiado pela Fundação Gerda Henkel.

O local está agora mais uma vez completamente submerso.

Vídeo relacionado: