Chile alerta sobre perigo de colapso da área em torno de cratera gigante no Atacama

Chile alerta sobre perigo de colapso da área em torno de cratera gigante no Atacama

10 de setembro de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Uma cratera gigante no deserto do Atacama, no Chile, está chamando a atenção de especialistas. Os investigadores apuraram que o buraco tem cerca de 36 metros de diâmetro e 200 metros de profundidade. A anomalia surgiu perto de uma mina de cobre e está recebendo atenção especial por conta do alto risco de colapso.

Dessa forma, a fissura se formou no final de julho e está crescendo desde então. Contudo, as autoridades locais e os responsáveis pela mina de cobre ainda não chegaram a uma conclusão sobre a causa desse fenômeno. Porém, o alto risco de colapso foi atestado pelos cientistas locais, que passaram a emitir alertas através das autoridades para que fiquem longe do local.

A empresa responsável pela mina existente próxima ao local emitiu um comunicado dizendo que “não houve impacto no pessoal, equipamentos ou infraestrutura”. Até o momento desse comunicado, a cratera não havia aumentado ou diminuído de tamanho, mas, essa situação mudou e atualmente o buraco não para de crescer.

De quem é a responsabilidade sobre a cratera?

Como a área corre sério risco de novas rachaduras e consequente alargamento da cratera, os alertas próximos ao local estão se tornando mais frequentes. O afundamento aconteceu perto da mina de Alcaparrosa, que se encontra a cerca de 665 quilômetros da capital chilena, Santiago.

O Comitê de Gestão de Riscos de Desastres disse em seu site que “considerando que o referido cenário representa uma ameaça à vida e à integridade física das pessoas, o acesso à zona foi restringido até que os estudos técnicos o justifiquem”.

A empresa Lundin Mining, que tem sede no Canadá, é dona de 80% da propriedade. Além disso, os 20% restantes pertencem às japonesas Sumitomo Metal Mining e Sumitomo Corp. Já o governo inicialmente acusou as empresas de serem as responsáveis pela cratera, devido à super exploração do local. No entanto, a empresa nega e disse que serão necessários mais estudos para apurar a verdadeira origem do buraco.

O que pode ter causado a cratera?

Como dito anteriormente, ainda não está totalmente claro como a cratera se formou. Contudo, alguns geólogos acreditam que é um sumidouro. Cavidades subterrâneas podem se formar em qualquer tipo de rocha solúvel ou erodível por água corrente. Alguns exemplos são gesso, depósitos de sal e também sedimentos de grão fino. Os sumidouros podem ter apenas um metro de largura ou mais de 100 metros de largura e profundidade.

Esses sumidouros são conhecidos por aparecerem repentinamente e sugar tudo o que estiver ao seu redor. De forma resumida, os sumidouros são formados por erosões, que por sua vez, são formadas por águas correntes e ácidas atingindo rochas subterrâneas.

Assim sendo, uma vez que buracos são feitos nas rochas, elas perdem estabilidade, e com isso, correm o risco de ceder e criar enormes sumidouros. Apesar de geralmente serem cobertos, esses sumidouros também podem virar lagoas.

Casos parecidos

méxico cratera

AFP via Getty Images

Nem sempre essas anomalias acontecem por culpa de humanos, já que elas também podem surgir de forma natural. Um dos casos mais notáveis, e recentes, aconteceu em Santa Maria Zacatepec, no estado de Puebla, no México. Em 2021, um desses buracos começou de maneira similar, com pouco mais de 30 metros de diâmetro.

Contudo, algum tempo depois, o buraco foi se alargando e engoliu uma casa, chegando a até 124 metros de diâmetro. Além disso, dois cachorros caíram na cratera, Spay e Spike, num momento chocante e assustador. Por sorte, depois de uma missão de resgate perigosa, os cães foram recuperados vivos.

No entanto, nem tudo foi recuperado após a abertura da cratera no México. Infelizmente, os moradores ficaram desamparados por um tempo, contudo, o governo lhes forneceu uma nova moradia.

Fonte: G1