Cético e Ceticismo: Conceito, Definição, Significados

Cético e Ceticismo: Conceito, Definição, Significados

16 de maio de 2018 0 Por eevaldo
Compartilhar:

CÉTICO E CETICISMO

cético

“Se o meu ceticismo te ofende e a tua fé me irrita, não sou tão cético e tu não és tão crente”

 

que é Cético?

Cético é um adjetivo que serve para caracterizar um indivíduo que é apoiante do ceticismo. O cético é uma pessoa que não acredita, que duvida ou se apresenta como incrédulo e descrente.

O significado de ceticismo tem suas raízes na filosofia. Porém, quando se usa o termo cético para se referir a alguém, normalmente quer-se dizer que aquela pessoa duvida de tudo, é alguém que precisa ver para crer. Na definição da palavra cético também se encontra o termo estado, que designa exatamente o estado de descrença em que vive o cético.

cético

Você é cético? 

cético questiona tudo o que lhe é apresentado como verdade e não admite a existência de dogmas, fenômenos religiosos ou metafísicos. O cético pode usar o pensamento crítico e o método científico (ceticismo científico) como tentativa de comprovar a veracidade de alguma tese.

 

Ceticismo

Ceticismo é uma corrente de pensamento filosófico que defende a ideia da impossibilidade do conhecimento de qualquer verdade. Criado na Grécia Antiga por Pirro de Élis (filósofo grego), esta filosofia rejeita qualquer tipo de dogma (afirmação considerada verdadeira sem comprovação).

Ceticismo é uma postura em relação ao conhecimento científico. Pode tanto ser um posicionamento de questionar aquilo que é considerado fato quanto de examinar criticamente qualquer fato antes de tê-lo como verdadeiro, mesmo que já seja um fato científico comprovado.

No campo da filosofia, o ceticismo é uma doutrina que acredita que a mente humana não é capaz de atingir nenhuma certeza quanto à Verdade.

Ceticismo filosófico

ceticismo filosófico teve a sua origem na filosofia grega e consistia em uma negação da validade fundamental de algumas teses ou correntes filosóficas. Este tipo de ceticismo pressupõe uma atitude que duvida da noção de verdade absoluta ou conhecimento absoluto.

Ceticismo e ciência

Apesar de parecerem conceitos opostos, ceticismo e ciência caminham juntos. Qualquer conhecimento científico só pode nascer a partir do processo dialético gerado pela dúvida. O ceticismo é o motor de todo conhecimento científico. Quando não há dúvidas, o conhecimento é aceito como Verdade absoluta, o que seria um indicativo de ingenuidade. A Verdade não é uma única peça; ela é composta de milhões de pequenos conhecimentos somados. Logicamente, o Homem ainda está longe da Verdade, mas a cada dúvida nasce um questionamento que se transforma numa nova pesquisa científica e assim, podemos alcançar mais um elemento que constitui a Verdade.

Ceticismo e dogmatismo

O dogmatismo é o oposto do ceticismo. O dogmatismo é o processo pelo qual o Homem pode crer naquilo que capta através de seus sentidos, enquanto que o cético questiona até mesmo aquilo que vê, ouve, sente. No estudo da filosofia, os conceitos de ceticismo e dogmatismo ficam em pólos opostos. Um dogma, segundo Kant, é um conceito formado a priori e é de natureza filosófica; o conhecimento científico não pode ser chamado de dogmático justamente porque advém da pesquisa empírica, do cálculo ou tem como base alguma das ciências exatas, não subjetivas.

Ainda na filosofia, aparece uma contraposição entre os filósofos dogmáticos, aqueles que definem suas opiniões sobre todos os assuntos e os filósofos céticos, que não têm definições rígidas para tudo.

Ceticismo Aberto

O Ceticismo Aberto é autodefinido como um “empreendimento educacional”, que visa à reunião de pessoas que tenham postura cética diante de tudo o que é veiculado como verdadeiro. Criado por Kentaro Mori, o Ceticismo Aberto é uma rede online de conexão de conhecimentos e informações de céticos do mundo todo. Para ele, o ceticismo é o único caminho para a Verdade. O Ceticismo Aberto é contrário à certeza dogmática, sendo, portanto, sempre aberto a novas ideias, mas testando-as através dos métodos de pesquisa mais rigorosos.

O Ceticismo Aberto é um caminho para a Verdade e não uma ameaça a ela. Qualquer afirmação só poderá ser validada se conseguir ultrapassar a barreira da mais forte dúvida inquiridora.

É chamado de “aberto” porque não rejeita nenhuma ideia, mesmo aquelas que a ciência nem se atreve a investigar, já partindo do pressuposto de que é uma inverdade. Teorias da conspiração, aparições de fantasmas, ufologia, homeopatia e quaisquer “coisas estranhas” são alvos da análise sob as diretrizes do Ceticismo Aberto.

Ceticismo Absoluto

Dois são os filósofos a que se atribui a fundação do Ceticismo Absoluto: Górgias (485 – 380 a.C.) e Pirro (365 – 275 a.C.) ambos gregos.

O Ceticismo Absoluto afirma que não se pode crer em nada do que existe porque tudo aquilo que conhecemos só pode chegar a nós através dos nossos sentidos e da nossa razão, formas consideradas falhas pela doutrina.

Górgias é conhecido até hoje pela autoria da frase: “o ser não existe; se existisse não poderíamos conhecê-lo; e se pudéssemos conhecê-lo, não poderíamos comunicá-lo aos outros”.

Pirro afirmava que nossos sentidos são as únicas fontes de apreensão da realidade e do conhecimento, porém não são confiáveis e nos induzem ao erro. Pirro também não confiava na razão, pois sobre os mesmos assuntos, diferentes homens têm opiniões muitas vezes contraditórias; isso revelaria quão limitada é a inteligência humana, tornando impossível o alcance de qualquer verdade.

Pirro

Pirro

Entre para o Universo Cético e questione, duvide, pesquise sempre!