Bactéria da Terra pode viver e se reproduzir em lua de Saturno

Bactéria da Terra pode viver e se reproduzir em lua de Saturno

1 de maio de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Essa é a prova real de que outros mundos distantes também têm condições de abrigar vida

Desde a visita das naves Pioneer e Voyager no Sistema Solar externo, cientistas têm especulado sobre a possibilidade da vida existir em mundos como Europa, lua de Júpiter. No entanto, graças a missão Cassini, agora os cientistas acreditam que outros satélites naturais do Sistema Solar, como Encélado, de Saturno, também poderiam abrigar algumas formas de vida.

A nave Cassini registrou jatos de água em Encélado, o que sugere atividade hidrotermal em seu interior. Além disso, essas geyseres de água continham moléculas orgânicas e minerais hidratados, que são grandes indicadores de vida. Então será que é possível mesmo a vida existir por lá?

Um grupo de cientistas quis ir mais a fundo e realizou um experimento onde amostras de bactérias da Terra foram expostas a condições similares aquelas encontradas em Encélado. O estudo liderado por Ruth-Sophie Taubner da Universidade de Viena foi detalhado na revista Nature Communications, e contou com a participação de membros das universidades Johannes Kepler, Ecotechnology Austria, Bremen e Hamburg.

Ilustração artística de atividade hidrotermal ocorrendo em encelado - NASA - JPL

Ilustração artística de atividade hidrotermal ocorrendo em Encélado, lua de Saturno.Créditos: NASA / JPL
A equipe decidiu trabalhar com três cepas de bactérias conhecidas como methanothermococcus okinawensis – um tipo de micro-organismo que vive em ambientes com pouco oxigênio e consome produtos químicos encontrados em Encélado, como metano, dióxido de carbono e hidrogênio molecular. O subproduto produzido por essas bactérias é o metano.

Esses tipos de bactérias são encontrados em fissuras no oceano profundo da Terra, próximo a locais onde ocorrem atividades hidrotermais. Algumas formas de bactérias M. okinawensis só foram encontradas em fontes hidrotermais do oceano profundo próximo da Ilha de Okinawa, no Japão, a cerca de 970 metros de profundidade.

fonte hidrotermal no leito do oceano - NOAA

Fonte hidrotermal no leito do oceano.Créditos: NOAA
Após submeter os três tipos de bactérias no laboratório em condições semelhantes as encontradas em Encélado, os cientistas determinaram que um dos três tipos poderia não apenas sobreviver como se desenvolver perfeitamente naquele ambiente de Encélado.

Concluiu-se que as bactérias poderiam consumir produtos químicos, produzir metano, aguentar a alta-pressão de aproximadamente 50 bar, e se reproduzirem normalmente nas condições encontradas em Encélado. Com isso, os cientistas concluíram ainda que grande parte do metano encontrado em Encélado pode estar sendo produzido por micróbios parecidos com aqueles estudados no laboratório.

“É bem provável que organismos poderiam estar vivendo em outros mundos”, disse Simon Rittmann, microbiólogo da universidade de Viena e autor do estudo. “Seria muito interessante investigar isso em futuras missões.”

Nas próximas décadas, diversas agências espaciais deverão lançar naves e sondas exploradoras em mundos com Encélado, Europa, Titã, entre outros, a fim de investigar seus oceanos escondidos ou de superfície. Já existem protótipos que estão sendo melhorados constantemente. Em breve tiraremos a prova real se de fato estamos ou não sozinhos no Universo. E tudo indica que ele está repleto de vida…

Imagens: (capa-ilustração) / NASA / JPL / NOAA