Alienígenas podem não ter vindo nos visitar por esse motivo

Alienígenas podem não ter vindo nos visitar por esse motivo

1 de novembro de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Todos sentem algo quando estão em lugar muito bom em uma noite estrelada e olham para cima. Algumas pessoas ficam com o tradicional, sentindo-se impressionadas com a beleza épica, ou deslumbradas com a escala insana do universo. No caso do físico Enrico Fermi, ele questionou: cadê os alienígenas?

Um céu realmente estrelado parece vasto, mas tudo o que estamos vendo é nossa vizinhança local. Nas melhores noites, podemos ver até cerca de 2.500 estrelas (aproximadamente um centésimo milionésimo das estrelas da nossa galáxia). Além disso, quase todas elas estão a menos de 1.000 anos-luz de nós (ou 1% do diâmetro de a via Láctea).

Quando confrontado com o tema das estrelas e galáxias, uma pergunta que atormenta a maioria dos humanos é: “existe outra vida inteligente lá fora?” Sendo assim, vamos pensar em alguns números.

Por mais estrelas que existam em nossa galáxia (100 – 400 bilhões), há aproximadamente um número igual de galáxias no universo observável. Então, para cada estrela na colossal Via Láctea, há uma galáxia inteira lá fora. Ao todo, isso resulta no intervalo normalmente citado entre 1022 e 1024 estrelas totais, o que significa que para cada grão de areia em cada praia da Terra, existem 10.000 estrelas por aí.

Vida extraterrestre

O mundo da ciência não está totalmente de acordo sobre qual porcentagem dessas estrelas são “semelhantes ao sol” (semelhantes em tamanho, temperatura e luminosidade) – as opiniões geralmente variam de 5% a 20%. Indo com o lado mais conservador disso (5%) e a extremidade inferior para o número total de estrelas (1022), nos dá 500 quintilhões, ou 500 bilhões de bilhões de estrelas semelhantes ao Sol.

Além disso, há um debate sobre qual porcentagem dessas estrelas semelhantes ao Sol podem ser orbitadas por um planeta semelhante à Terra (um com condições de temperatura semelhantes que poderia ter água líquida e potencialmente sustentar vida semelhante à da Terra).

Desse modo, alguns dizem que chega a 50%, mas vamos aos 22% mais conservadores que saíram de um estudo recente da PNAS. Isso sugere que existe um planeta semelhante à Terra potencialmente habitável orbitando pelo menos 1% do total de estrelas no universo – um total de 100 bilhões de bilhões de planetas semelhantes à Terra.

Portanto, existem 100 planetas semelhantes à Terra para cada grão de areia do mundo. Pense nisso na próxima vez que estiver na praia. Seguindo em frente, não temos escolha a não ser ficar completamente especulativo.

Vamos imaginar que, após bilhões de anos de existência, 1% dos planetas semelhantes à Terra desenvolvam vida (se isso for verdade, cada grão de areia representaria um planeta com vida). E imagine que em 1% desses planetas, a vida avança para um nível inteligente como aconteceu aqui na Terra. Isso significaria que haveria 10 quatrilhões, ou 10 milhões de bilhões de civilizações inteligentes no universo observável.

Então, onde estão os alienígenas?

Alienígenas não visitaram a Terra por essa razão

Hypeness

Segundo o artigo “Assentamento galáctico de estrelas de baixa massa como uma resolução para o paradoxo de Fermi”, publicado no Astrophysical Journal, “uma civilização em expansão poderia se espalhar rapidamente pela galáxia. Então a ausência de assentamentos extraterrestres no Sistema Solar implica que tais civilizações expansionistas não existem”.

Assim, o estudo aponta para o artigo de Michael Hart, de 1975, “uma explicação para a ausência de extraterrestres na Terra”, publicado no Quarterly Journal of the Royal Astronomical Society.

“Se não houvesse pausa entre as viagens, a fronteira da exploração espacial estaria aproximadamente na superfície de uma esfera cujo raio estivesse aumentando a uma velocidade de 0,10c”, escreveu Hart. “Nesse ritmo, a maior parte de nossa galáxia seria atravessada em 650.000 anos”.

Hart apontou que uma civilização tecnológica teria tempo suficiente para chegar até nós, a menos que tivesse começado há menos de 2 milhões de anos. Desse modo, para Hart, a única explicação para a falta de evidências de civilizações alienígenas é que não elas existem.

Já os autores do novo estudo, Jacob Haqq-Misra e Thomas J. Fauchez, acreditam que alienígenas não nos visitaram porque estrelas de baixa massa são melhores alvos de migração para civilizações antigas.

“Sugerimos, seguindo a hipótese de Hansen & Zuckerman (2021), que uma civilização em expansão se estabelecerá preferencialmente em sistemas de anãs K ou M de baixa massa, evitando estrelas de massa mais alta, a fim de maximizar sua longevidade na galáxia”, eles escrevem.

Basicamente, qual seria a razão de escolher um sistema solar que pode não durar muito tempo? A verdade é que, por ora, pouco sabemos sobre as vontades de outras civilizações e só podemos analisar os demais a partir das nossas perspectivas como humanos.

Fonte: Science Alert