A montanha mais estranha do mundo que inspirou o romance de Sir Arthur Conan Doyle “The Lost World”

A montanha mais estranha do mundo que inspirou o romance de Sir Arthur Conan Doyle “The Lost World”

30 de julho de 2022 0 Por ucrhyan
Compartilhar:

Com um ecossistema único que só pode ser encontrado nas nuvens, o místico Monte Roraima localizado em três pontos da Venezuela, Guiana e Brasil intrigou os exploradores do século 19 e se inspirou no romance ‘O Mundo Perdido’ de Sir Arthur Conan Doyle.

O Monte Roraima está localizado no Escudo das Guianas, no canto sudeste do Parque Nacional Canaima, de 30.000 quilômetros quadrados, na Venezuela. Também conhecida como tepui, essa formação geológica de aparência estranha está entre as mais antigas do mundo, datando de cerca de dois bilhões de anos atrás.

A área do cume do planalto de 31 km2 da montanha consiste em todos os lados de penhascos que se elevam 400 metros (1.300 pés). As chuvas de alta altitude se acumulam em pequenos lagos e escorrem das enormes falésias em cachoeiras espetaculares.

Também conhecido pelo apelido de ‘A Ilha Flutuante’, o Monte Roraima é tão único que os cientistas ainda estão tentando entender seu ecossistema.

O mistério gira em torno do fato de que sabemos que muitas criaturas chamam o topo dessas formações geológicas únicas de lar, mas não temos ideia de como elas chegaram lá.

Eles evoluíram sozinhos longe de outros ecossistemas – uma ideia conhecida como a “hipótese do mundo perdido”, após o romance de 1912 de Sir Arthur Conan Doyle, The Lost World, que se passa em Roraima. Ou eles viajaram para lá de alguma forma?

Ninguém sabe ainda, mas os cientistas estão se aproximando de uma resposta. Hoje, 35% das espécies do Monte Roraima são consideradas endêmicas, tendo evoluído independentemente em Roraima ao longo de milhões de anos.