A Ciência é Cética?

23 de maio de 2018 0 Por eevaldo
Compartilhar:
Ciência cética

Imagem da internet

A Ciência é Cética?

A CIÊNCIA: é conhecimento rigoroso e racional de qualquer assunto.

A Ciência é conhecimento sobre um determinado tema, obtido mediante um método próprio. É um domínio organizado do saber. Esses conjuntos organizados de conhecimentos são baseados em relações objetivas verificáveis e dotados de valor universal. É uma arte, uma técnica do saber fazer.
Tomei CIÊNCIA dos fatos ocorridos na minha ausência.

O CÉTICO é Descrente: Indivíduo descrente, duvida de tudo. Cético é aquela pessoa que tem “ver para crer”.

O ateu, por exemplo, é “CÉTICO” exatamente com a fé do religioso.

cético

ceticismo

Temos o Ceticismo como uma característica. Não é um ramo de conhecimentos, trata-se da atitude da pessoa em relação ao conhecimento. Observe que é preciso ser cético para se fazer ciência, pois o ceticismo é a postura de se duvidar do que se sabe para, justamente, procurar validar ou não determinado conhecimento. Ao contrário do dogmatismo, que é característico das religiões, no qual o conhecimento é tido como certo e garantido, não passível de dúvida. Se tratando de ciência algo nunca é de todo certo, definitivo ou acabado. O que pode-se dizer é que, perante os dados disponíveis até o momento, tal ou qual explicação seja a correta. Existe casos, inclusive, que nem isso se dispõe. E temos como exemplo na psicologia, na sociologia e na economia, em que há várias “escolas de pensamento”, conflitantes, que fazem propostas divergentes de explicação dos fatos abordados por essas ciências. Já por outro lado, nas religiões apresentam suas explicações como definitivas, absolutas e verdadeiras para serem aceitas sem questionamento. Entretanto existem várias religiões que apresentam explicações divergentes sobre o mesmo fato. E então, qual é a correta? Mas é claro que a fé não pode ser garantia de veracidade de nada, pois há pessoas que possuem fé completa e sincera em assertivas contraditórias. Como a verdade tem que ser única, não se pode alcançá-la pela fé. Portanto, é daí a incompatibilidade irremovível entre as ciências e as religiões.