A 17 mil anos-luz da Terra, uma mão cósmica está batendo na parede

A 17 mil anos-luz da Terra, uma mão cósmica está batendo na parede

20 de novembro de 2022 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:


A 17.000 anos-luz da Terra, uma mão fantasmagórica cósmica está batendo na parede

Mais uma vez, o Chandra X-Ray Observatory da NASA nos presenteou com algumas das imagens mais impressionantes conhecidas pela humanidade.

As imagens são tão inovadoras quanto lindas: o que você está vendo marca a primeira vez que o movimento de uma supernova explodida foi medido por humanos.

Usando dados de 2004, 2008 e uma imagem combinada de 2017 e 2018, os astrônomos revelaram a imagem de uma vasta mão fantasmagórica movendo-se pelo espaço para atingir uma parede de gás cósmico vermelho.

As imagens mostram o movimento da onda de choque em torno da ponta de uma das “pontas dos dedos” – uma onda de choque que se move pelo espaço a cerca de 14,5 milhões de quilômetros por hora.

Alguns dos restos da estrela, deixados para trás como detritos cósmicos quando se transformou em supernova, estão se movendo ainda mais rápido, a mais de 17,7 milhões de km.

Embora seja incrivelmente rápida, a mão fantasmagórica – cujo nome é MSH 15-52 – experimentou uma desaceleração dramática, de acordo com um  artigo publicado no The Astrophysical Journal Letters pela equipe do Chandra.

De acordo com a equipe, os detritos cósmicos devem ter primeiro viajado através de uma cavidade de gás de baixa densidade, que foi formada quando a estrela desprendeu sua camada externa de hidrogênio antes de explodir, e então diminuiu drasticamente quando atingiu RCW 89.

Os pesquisadores estimam que a “mão” deve ter viajado em média cerca de 50 milhões de km. Isso é uma média , não um máximo

A luz da supernova atingiu a Terra pela primeira vez há cerca de 1.700 anos

Uma época em que o império maia estava florescendo, Roma estava apenas começando a se tornar cristã e a Índia estava inventando um novo tipo sofisticado de matemática chamado trigonometria.

Mas, pelos padrões cósmicos, MSH 15-52 é um bebê. Na verdade, é um dos mais jovens remanescentes de supernova na Via Láctea.

Quando a estrela explodiu, deixou para trás um pulsar superdenso. Este pulsar – o núcleo colapsado de uma estrela massiva, que gira rapidamente e expele energia para o espaço – é o que criou a mão misteriosa.

Ele está girando a quase sete revoluções por segundo e liberando uma quantidade notável de energia no cosmos ao seu redor.

Fonte: 

IFLSCIENCE

[Universo]