URGENTE: Fim do mundo será dia 16 agora segundo astrônomo

URGENTE: Fim do mundo será dia 16 agora segundo astrônomo

31 de março de 2019 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Segundo o cientista russo Dyomin Damir Zakharovich, asteroide vai dizimar a vida na Terra

O asteroide 2016WF9 foi descoberto pela Nasa em 2016 e deve passar a cerca de 51 milhões de quilômetros da Terra; sobreviveu? Brincadeiras à parte, o fato é que frequentemente surgem novas teorias sobre a possível destruição do planeta Terra e o fim da raça humana. Dessa vez, um cientista russo cravou uma nova data para o fim do mundo: dia 16 de novembro.
““O asteroide 2016WF9, descoberto em 2016, vai atingir a Terra dia 16 de fevereiro de 2018, causando o æm do mundo”, alegou o astrônomo Dyomin Damir Zakharovich. Nasa (National Aeronautics and Space Administration) e tem cerca de um quilômetro de diâmetro. A agência espacial norte-americana divulgou uma nota desmentindo a denúncia do russo, dizendo que o corpo celeste vai passar bem longe da Terra (a cerca de 51 milhões de km de distância) e que não há perigo de colisão. “O objeto não é uma ameaça à Terra em um futuro previsível”, traz o texto.

O cientista, no entanto, não acredita na aærmação da Nasa e disse que a agência está enganando a humanidade. “A Nasa sabe que ele irá se chocar contra a Terra, mas não está contando para ninguém”,
aærmou Zakharovich para o site de notícias britânico Daily News. A Nasa insistiu que o asteroide não oferece perigo para nosso planeta. “A trajetória do 2016WF9 é bem conhecida”, informou

Essa não é a primeira vez que teorias apontam para o fimdo mundo. No ano passado, um grupo de teóricos da conspiração conhecido como “Profecias doFim dos Tempos” afrmou que a vida na Terra acabaria no dia 29 de julho de 2016, após uma série de catástrofes naturais… O que claramente não ocorreu. Antes, uma teoria Maia apontava para o æm da raça humana para o dia 21 de dezembro de 2012.
Fonte

Uma teoria de que um asteróide poderia colidir com a Terra em 1º de fevereiro de 2019 movimentou o universo científico. De acordo com os primeiros relatos, este asteróide seria o objeto mais ameaçador já encontrado no espaço. Essa afirmação foi feita por Benny Peiser, pesquisador da Universidade John Moores, de Liverpool, na Inglaterra.

Contudo, depois de meses monitorando o movimento do asteróide, os astrônomos anunciaram que ele não irá colidir com o nosso planeta. Os cientistas concederam ao asteróide o nível 0,6 de perigo, baseado na escala de grau de ameaça de Palermo.

O corpo celeste teria aproximadamente 2 quilômetros de diâmetro. Caso ele viesse a se chocar com a Terra a uma velocidade de 28 quilômetros por segundo, o impacto seria mais do que suficiente para destruir um continente inteiro. A colisão também causaria diversas mudanças climáticas.

Chamado de asteróide NT7, o corpo celeste foi avistado pela primeira vez pelo Observatório Linear do Novo México, nos Estados Unidos. Depois de muitos cálculos, os astrônomos concluíram que a possibilidade do asteróide se chocar com a Terra é mínima, pois ele passará mais longe do que o previsto do planeta Terra.

Segundo o cientista Don Yeomans, da NASA, é possível desconsiderar qualquer possibilidade de choque do corpo celeste com a Terra em 1° de fevereiro de 2019, porém os cientistas não descartam a hipótese do asteróide entrar em rota de colisão com a Terra no futuro, possivelmente em 2060.

Teorias do Fim do Mundo

Fonte