Pegadas na Lua não batem com botas dos astronautas – o que diz a NASA?

Pegadas na Lua não batem com botas dos astronautas – o que diz a NASA?

16 de março de 2019 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Não é de hoje que a ida do homem à Lua causa muita polêmica, e não são poucas as teorias de conspiração que levantam várias dúvidas sobre a famosa missão Apollo 11 que levou os primeiros astronautas que pisaram na Lua.

Mas agora surgiu uma nova teoria bem simples, lógica e fácil de entender, que deixou muita gente com ainda mais dúvidas sobre a famosa missão lunar. Trata-se de uma comparação de 2 fotos, onde a primeira mostra a famosa pegada na Lua e a segunda a sola das botas que os astronautas usaramdurante a missão, conforme vemos logo abaixo:

De fato não temos como negar que a pegada deixada na Lua não bate com a forma da sola da bota que os astronautas usaram. E sim, a foto é verdadeira e foi feita pelo astrônomo Phil Plait, antes que os trajes espaciais usados durante a missão entrassem em exposição no Smithsonian’s National Air and Space Museum.

Traje Astronautas missaõ Apollo 11

Depois dessas imagens se espalharem pelo mundo fazendo com que as teorias conspiratórias ganhassem força, a NASA acabou se pronunciando sobre o assunto e disse que tem boas explicações para a nítida diferença:

  1. A pegada da foto foi deixada por Buzz Aldrin, já o traje fotografado pertenceu a Neil Armstrong;
  2. Os astronautas usaram por cima das botas originais outro par de botas diferentes que davam mais aderência durante as caminhadas lunares;
  3. As tais botas auxiliares, assim como centenas de outros itens, acabaram ficando na Lua quando a missão precisou aliviar o peso da nave para decolagem, e por isso não fazem parte do traje que está em exposição.

Assim como a nova teoria de conspiração faz muito sentido, também não tem como negar que as explicações da NASA foram muito convincentes e claras. Agora só depende de você fazer seu próprio julgamento sobre esse assunto, que deve continuar gerando polêmica por muito tempo. O que você acha?

 

Fonte