Parte do nosso DNA foi trazido à Terra por meteoritos afirmam cientistas da NASA

Parte do nosso DNA foi trazido à Terra por meteoritos afirmam cientistas da NASA

21 de fevereiro de 2019 0 Por Jonas Estefanski
Compartilhar:

Os componentes essenciais para a dupla hélice do DNA são entregues a todo momento, em todo o Universo, por meteoritos carbonáceos

Como a vida surgiu na Terra ainda é um mistério para a ciência, sobretudo o momento em que a matéria não viva formou células vivas. A teoria que lidera esse assunto diz que a vida teria surgido a partir de fontes hidrotermais profundas, que forneceram os ingredientes certos para a formação da vida simples. Mas ainda há muitas lacunas a serem preenchidas nesse grane quebra-cabeças do surgimento da vida na Terra.

A ideia de que a Terra seria o forno para o bolo da vida vem ganhando força, e ao que tudo indica, o nosso “forno” chamado Terra recebeu ingredientes que vieram do espaço.

O nosso DNA é espacial?

Cientistas da NASA divulgaram uma descoberta vital (literalmente): os componentes essenciais do DNA foram trazidos à Terra por meteoritos. Ou seja: se não fossem essas rochas espaciais, provavelmente nós nem estaríamos aqui.

Para fazer isso, eles resfriaram uma substância de alumínio a (quase) zero absoluto e a colocaram em uma câmara de vácuo que recriava as condições do espaço profundo. Em seguida, eles adicionaram uma mistura de gás de vapor de água e metanol – componentes do meio interestelar – e finalmente bombardearam isso tudo com raios UV numa câmara que imita a radiação das estrelas.

Cientistas da NASA Michel Nuevo, Christopher Materese e Scott Sandford.
Créditos: NASA / Ames Research Center / Dominic Hart

O resultado foi que, graças à temperatura extremamente fria, uma camada de gelo foi encontrada no alumínio, que foi então aquecido pela radiação UV. A equipe então analisou a substância e descobriu que a molécula de açúcar 2-desoxirribose – basicamente o D no DNA – foi criada, juntamente com vários outros derivados de açúcar.

Mas onde os meteoritos entram nessa história?

Só porque essas moléculas vitais puderam ser criadas em laboratório que simula um ambiente de espaço profundo, não significa necessariamente que o processo acontece na natureza. Para investigar, a equipe examinou várias amostras de meteoritos carbonáceos, e foram encontrados vestígios de ácidos e álcoois mais simples. Nada tão complexo quanto a 2-desoxirribose foi encontrado, mas a equipe diz que isso pode ser porque eles ainda não verificaram muitas amostras.

Testes conduzidos em meteoritos reais do tipo Condrito Carbonáceo apoiaram este trabalho, revelando pela primeira vez a presença de açucares derivados do DNA, bem como outros elementos essenciais para a vida.

Meteorito de Chelyabinsk
Meteorito de Chelyabinsk que explodiu sobre a Rússia em 15 de fevereiro de 2013.
Créditos: divulgação

Todas essas substâncias contribuem para uma grande lista de compostos biológicos vitais detectados em rochas espaciais, sugerindo que a vida na Terra pode ter sido semeada por meteoritos, cometas e poeira espacial.

A pesquisa foi liderada pelo cientista da NASA, Dr. Michel Nuevo, e sua equipe.

Forno + ingredientes = bolo da vida?

Já são mais de 25 anos que experimentos em laboratório são conduzidos a fim de detectar a presença de componentes básicos para vida. Esse novo estudo mostrou que, ao recriar as condições do espaço, os meteoritos apresentam os blocos de construção de toda a vida.

É claro que a mágica da vida na Terra acabou acontecendo também sobre a influência das condições do nosso planeta, mas os meteoritos carbonáceos podem ter desempenhado um papel essencial. “Embora os processos terrestres também devam ter contribuído para o surgimento da vida em nosso planeta há mais de 3,8 bilhões de anos, esses orgânicos de meteoritos estavam disponíveis e podem ter desempenhado um papel nos primeiros processos biológicos”, concluíram os autores.

Só existimos por causa dos meteoritos?

A Terra foi constantemente bombardeada com rochas espaciais durante as primeiras centenas de milhões de anos de sua existência. Os cientistas acreditam que durante essa fase, os meteoritos trouxeram os compostos necessários para a formação da vida aqui na Terra

Pesquisas anteriores já haviam mencionado nucleobases – moléculas que armazenam e transmitem informações genéticas. Mas dessa vez, o experimento da equipe da NASA foi o primeiro que conseguiu identificar a presença de açucares essenciais para o código genético da vida.

Créditos: divulgação

Apesar dos cientistas não terem confirmado de forma definitiva a existência de 2-desoxirribose nas amostras de meteoritos, eles sugeriram que amostras maiores devem revelar a presença desses compostos no espaço.

Semeando a vida

Os meteoritos carbonáceos trazem informações preciosas. Eles são raros e compreendem apenas um pequeno número dentre todos os meteoritos conhecidos. Eles remontam ao início do Sistema Solar, e são mais antigos do que os próprios planetas.

Vale lembrar que esses meteoritos carbonáceos e suas moléculas biológicas estão espalhados por todo o Sistema Solar, como também  por todo o Universo. Logo, os cientistas concluíram que os componentes da vida são entregues a outros planetas, da mesma forma que aconteceu aqui na Terra.

Este estudo dá ainda mais força para a Panspermia – uma teoria que vem ganhando adeptos em todo o mundo, e cada vez mais se torna coisa séria entre os cientistas. Ela diz que a vida viaja pelo espaço no interior de rochas, e atingem os planetas como “dentes de leão” viajam pelo nosso jardim. É como se a vida pegasse carona nesses viajantes, que muitas vezes acabam saindo até de seus próprios sistemas. Estaríamos prestes a descobrir uma verdadeira semeação espacial?

Imagens: (capa-ilustração) / NASA / Ames Research Center / Dominic Hart / divulgação 

Fonte